Em tempos de calor

Em tempos de calor

Em tempos de calor

Em tempos de calor, já ouviu falar de exaustão térmica e Intermação???

Fadiga extrema, falta de ar, tontura, vômito, desmaio, pulso rápido e fraco. A exaustão térmica é causada pela incapacidade do corpo em um estado de desidratação intensa.

Num exercício intenso ou vigoroso os músculos ativos e a pele sugam líquido do volume sanguíneo, com isto a quantidade de líquido neste fica muito baixa e os agentes termorreguladores não são capazes de dissipar o calor . Outra forma de exaustão é causada pela depleção de sódio, mas esta é muito difícil de ocorrer em atletas.

O ultramaratonista Dean Karnazes sofreu com exaustão térmica quando participou pela primeira vez da Bad Water, uma corrida que atravessa o famoso Vale da morte nos Estados Unidos. Após muitos quilômetros de prova, ele apagou e acordou num quarto de hospital em meio a colchões forrados de plástico e tomando soro na veia.

Além da exaustão térmica, a Intermação, é um distúrbio térmico causado pela falência dos mecanismos de termorregulação do corpo e caracteriza-se por alteração do estado mental ou da função cognitiva. São vários os casos de atletas em competições que chegam a este nível de desidratação e um dos mais famosos foi a atleta suíça Gabriela Andersen-Schiess, que chegou exausta ao final da maratona dos jogos olímpicos de Los Angeles em 1984.

Para se evitar maus como a exaustão térmica e a intermação, aqui vão algumas dicas:

– Evitar eventos ou treinos com temperaturas superiores a 28 graus. Em tempos de calor como o de agora, deve-se evitar treinos com inicio depois das 10 horas da manhã.
– Aderir a líquidos suplementares palatáveis. Líquidos com gosto bom e de preferência gelado.

–  A perda de peso não deve ser superior a 2%. Se isto ocorrer, o atleta deve ser orientado, para que seja feita a reposição hídrica, porém, não se deve consumir líquidos em excesso, a ponto de ganhar peso durante o evento.

– Cada indivíduo tem uma velocidade de perda líquida. Por isto, uma boa sugestão é que seja feita uma pesagem antes e depois de cada treino, a fim de se verificar a perda de cada um.

– Líquidos que contém eletrólitos e carboidratos podem ser mais benéficos do que a ingestão de água somente. Isto dependerá muito da intensidade do exercício e principalmente da perda apresentada por cada um.

– Os atletas devem estar cientes dos sinais e sintomas de enfermidade térmica. A melhor método para resfriamento corporal é a imersão em água gelada.

One thought on “Em tempos de calor

  1. Renan Pelizzari Pereira

    Patrão, parabéns por mais esse excelente e instrutivo texto. Uma dúvida me ocorreu: Para evitar a intermação e a depleção de sódio, o uso de soro caseiro nas caramanholas em treinos longos é uma solução?

    Nossos treinos longos de ciclismo começam cedo, mas invariavelmente terminam com o Sol do meio dia, ou seja, não temos muito como fugir do forte calor. Em Aldeia da Serra, por exemplo, terminamos com 42º C.

Deixe uma resposta